• Facebook Clean
  • Instagram Clean

Rua Bento de Andrade, 103, Jardim Paulista - São Paulo 

(11) 97675-5057

Registo no Crefito -3 
9377/SP

© 2017 Clínica Raquel Castanharo. Todos os direitos reservados.

5 situações que podem influenciar o aparecimento da Síndrome da Banda Iliotibial

 

Dor na lateral do joelhos pode ser sinônimo de Síndrome da Banda Iliotibial. Entre os corredores, o relato de incômodo nessa região é um dos mais frequentes. Nos bastidores do problema está a banda iliotibial, uma espécie de faixa fibrosa localizada na lateral da coxa, que nessa síndrome apresenta um atrito exagerado com o fêmur (osso da coxa) na porção mais próxima à articulação do joelho, causando inflamação e dor no local. Conheça 5 fatores que podem desencadear o problema:

 

1. Direção
O excesso de treino em apenas uma direção em pistas de atletismo e corrida em declive têm relação direta com o síndrome. Isso acontece porque nessas condições o joelho fica em uma posição que aumenta o atrito entre a banda e o côndilo do fêmur, intensificando as chances de aparecimento da lesão.

 

2. Falta de força
A diminuição da força do quadril é outro fator que merece atenção. O músculo glúteo médio, posicionado na lateral do quadril, é responsável por manter a coxa alinhada na fase de absorção de impacto da corrida. Se este músculo está fraco, a coxa “cai” para dentro quando o peso do corpo está apenas sobre aquela perna, provocando o atrito da banda iliotibial com o fêmur.

 

3. Flexão diminuída
Quando o pé toca o solo, o joelho está levemente dobrado, ou seja, em flexão. Pesquisas mostraram que pessoas com a síndrome dobram menos o joelho nesse momento da corrida, o que aumenta o atrito entre a banda e o osso.

 

4. Muito treino, pouco descanso
Cuidado para não exagerar no volume de treino e negligenciar o descanso. A maioria das lesões na corrida acontece por sobrecarga. O corpo é submetido a um esforço maior do que ele suporta ou ele não tem o tempo necessário de recuperação entre um esforço e outro. Equilíbrio é a palavra chave para não se lesionar. Por isso, dê tempo para o seu corpo se recupere e fique inteiro para continuar com a prática saudável.

 

5. Mecânica alterada
Fique de olho se você não está compensando a dor alterando a mecânica da corrida. Embora possa parecer a salvação imediata da dor, o corpo é capaz de aprender novas maneiras de se movimentar e, a longo prazo o padrão de corrida se transforma em um fator causador de mais dor. Para que articulações e músculos funcionem de forma mais harmônica, o segredo está na repetição e a especificidade. É preciso treinar o movimento específico por algum tempo para que ele possa ser aprendido e utilizado adequadamente.

 

O tratamento mais efetivo para a síndrome da banda iliotibial inclui fortalecimento do músculo glúteo médio e exercícios funcionais para o quadril. Entre os mais efetivos está a elevação da perna esticada para o lado, por exemplo. A combinação com exercícios funcionais também apresenta bons resultados e deve estar direcionada para o trabalho de descarga de peso na perna alinhada e em agachamentos assimétricos com foco no músculo glúteo médio. Além disso, tiros curtos são melhores do que corrida em baixa velocidade no retorno aos treinos durante o tratamento, pois a posição do joelho nos tiros mantém a banda iliotibial mais afastada da região de atrito com o fêmur.

 

Aproveite as dicas e, caso note que a dor persiste, busque auxílio de fisioterapia especializada para uma avaliação minuciosa do seu caso.

 

Texto publicado originalmente em http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/2013/05/sindrome-da-banda-iliotibial-gera-dor-na-lateral-do-joelho-de-atletas.html

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Tratamento de corredores
Siga-nos
  • Facebook Basic Square
  • Instagram Social Icon